jusbrasil.com.br
30 de Março de 2020

O que a Jovem Advocacia precisa entender

Alex Andrade, Advogado
Publicado por Alex Andrade
há 7 meses

Vamos analisar, sem pormenores, a realidade encontrada pelos jovens Advogados brasileiros, destacando o que não é percebido e que compromete uma possível carreira de sucesso, independentemente do grau de conhecimento jurídico que o profissional tenha.

A bem da verdade, é nítido que o jovem Advogado encontrará um cenário bastante difícil, sobretudo quando buscar empreender e abrir o seu próprio escritório. Nada obstante, o caminho também não é simples quando o Advogado compõe uma equipe já existente na busca de maior experiência no início da carreira.

O jovem Advogado não tem, evidentemente, uma carteira de clientes, nem dinheiro (principalmente fluxo de caixa e capital de giro), não tem uma formação técnica pra administrar o escritório e/ou sua carreira particular, pois estudou para exercer as atividades privativas de Advogado e não para administrar uma empresa, e assim fica, não raro, travado e desanimado.

Tudo isso acontece pelo fato de que o profissional, não entendeu que não é Advogado (a) apenas, e sim um empresário administrando a própria carreira, quer queira ou não. Entretanto, quando essa informação fica nítida, as coisas tendem a mudar, pois se nota o que falta na bagagem e, naturalmente, começa a busca por completá-la de modo que se torne suficiente.

O cenário enfrentado pelo jovem Advogado é: não ter clientes, ter contas fixas e variáveis e não ter a preparação e contatos indispensáveis para fixar bases no mercado de trabalho. Assim sendo, o desafio é superar as dificuldades citadas, e o caminho é entender o quanto antes que sua carreira é uma empresa que clama, quase que desesperadamente, por boa administração, com planos, metas, execução e sobretudo, estabilidade.

Também não é dito ao jovem Advogado que a maioria das habilidades necessárias para alavancar sua carreira estão fora da literatura jurídica. Cabe, portanto, buscar habilidades multidisciplinares aplicáveis à carreira jurídica nos mais variados campos de estudo, tais como: a psicologia, a administração, a contabilidade, a linguística, a gestão, dentre outros.

Sem embargos, inúmeras alternativas se escancaram como solução para as dificuldades lançadas. Uma delas é a crescente atuação jurídica extrajudicial ou a busca, não tão nova assim, dos ritos que permitem a finalização mais rápida da demanda. A pretensão nítida e de suma importância é a de resolver a questão do fluxo de caixa. Pois, ainda que, minimamente, ceder oxigênio para a empresa não quebrar, é indispensável.

É óbvio, mas cabe ressaltar, que não se busca ter margem de lucro alta, ganhar fortuna nos primeiros anos da Advocacia. O que se busca, na verdade, é sobreviver no mercado. Você precisa não quebrar para poder ter sucesso um dia. Fincar a raiz é o seu objetivo primário e para isso precisa-se ter fluxo de caixa, senão o fracasso será inevitável.

Observe atentamente as alternativas para ter um fluxo de caixa saudável. Você deve trabalhar pelos caminhos que permitam, ainda que em menor proporção, um resultado mais rápido. A busca por resolução extrajudicial de conflitos também se mostra efetiva nesse contexto, dentre inúmeros outros mecanismos já trabalhados noutros trabalhos de minha autoria.

Não podemos finalizar sem falar da concorrência. Aqui pergunto: o mercado está realmente superado? saturado? Ou está simplesmente cheio de profissionais medianos? A pergunta é: qual tipo de profissional você é? Você tem negociado com a mediocridade ou tem ido além? Tem se dedicado mais do que a maioria? Se diferenciado?

Concorda que não adianta buscar resultados extraordinários sendo um profissional comum?

É vital a diferenciação em qualquer ramo. Você nada mais é do que uma empresa na busca de espaço no mercado. Se deseja ter resultado diferente, traga algo novo. Pode ser a celeridade, a qualidade, a presteza ou qualquer outra fonte de diferenciação. Só não seja mais do mesmo esperando resultados extraordinários, porque eles não vão aparecer.

Desse modo, reitero que o seu principal objetivo no início da carreira é fincar sua raiz. Pois a realidade que o jovem Advogado enfrenta, é muito dura. De modo que, indiscutivelmente, a meu sentir, você é o seu concorrente principal e não os outros. Vencer seus próprios limites é a grande sacada.

Utilizados tais mecanismos, após ter fincado a raiz e criar um fluxo de caixa sustentável, poderá escolher a área de atuação que preferir, mas antes disso certifique-se de que sua Advocacia não fique fadada a falência. Primeiro, mostre ao mercado que você chegou e vai ficar, e para isso é necessário trabalhar com o que se precisa e não com o que se quer.

Até aqui você teve desenhado o cenário que espera todos os jovens Advogados, notou que algumas perspectivas e verdades precisam ser reanalisadas e, sobretudo, percebeu que tudo depende ao menos inicialmente, de você.

É um desafio diário e árduo, eu sei. É uma atividade intensa de planejamento e execução. Não existe sucesso advindo exclusivamente do trabalho. O planejamento estratégico aliado ao trabalho é o segredo. Não se progride apenas executando, pensar é vital.

Sucesso.

2 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Impecável!
Você é inspiração para todos os jovens advogados. Fala com propriedade do que vive e enfrenta diariamente. 😉 continuar lendo

Inspirador, Dr.
Obrigado pelo belo texto.
Sucesso ! continuar lendo